sexta-feira, 7 de março de 2008

naufragando

estou na ilha;náufraga temporária.
o meu pré-naufrágio começou há bastante tempo.sempre quis ser atriz,fazer essas "coisas de artistinha"..haja visto as básicas imitações dos outros,as ceninhas que eu monopolizava na antiga escola estadual joão bueno júnior..toda sexta-feira ia a laura lá,a generalzinha que fazia,escrevia as peças e ainda mandava nos outros...uma fuhrer aos 9 anos (!).sempre curti esse lance de fazer teatrinho,de poder ser outra pessoa mesmo que por um instante (coloquei esta frase tosca só pra desbaratinar...aquelas pseudofrasesbonitas,né?!haha).falando sério,sempre gostei e era muito instintivo pra mim.por isso mesmo,por fazer um teatro amador (e amador em ambos os sentidos),sentia um frio na barriga,borboletas no estômago mesmo em pensar em um dia levar a sério mesmo uma coisa aparentemente tão lúdica e que a nossa civilização vê apenas como lúdica no sentido pueril,uma coisa que é hobby,que é irrelevante.
valia mesmo a pena fazer faculdade de artes cênicas?a minha tempestade começou aí,com as dúvidas cruéis acerca do meu futuro cerceadas pelo maldito estudo intensivo e depressivo para o vestibular.
escolhi.
mergulhei.mergulhei mais.
fiquei com medo,o mar se revirava muito..quase me afoguei.mas aí eu entrei na faculdade;uma faculdade que não era sonhada por mim mas que agora eu agradeço por estar lá.era pra ser aquela,era pra ser aquela turma (não tô falando que eu acredito em destino-até mesmo porque eu não acredito-mas eu acho muito extraordinário).e era tudo incerto,tudo meio desconhecido.as pegadas na areia do departamento de artes cênicas...
e eu passei esses anos suspensa,submersa nesse departamento quase que (paradoxalmente)sem contato efetivo com a outra civilização.e eu pensava (e penso):por quê?
mas estou naufragando passiva e ativamente,nesse exílio desejado.
meu naufrágio é efêmero porque daqui a dois anos eu vou sair pra civilização..mas vou me lembrar dos tempos de ilha e,quiçá,levar meu wilson comigo.

3 comentários:

Sandrinha disse...

Yeah yeah yeah! (ritmo de Bad Religion e Infected, desculpe...rs).

Tem coisas que as vezes achamos não ser as certas, que as vezes mal nos damos conta do que estamos fazendo.

E de repente, vemos aquela fagulha, aquela centelha que muda tudo.

Boa sorte por aí! ^_^

Beijos.

Rodrigo Sérvulo disse...

Adorei o post. Seus devaneios, e a metáfora do Wilson no final..

É bom que vc perceba que a vida é pra ser vivida (CLICHÉ)

Vc fez o que quis, e é isso. Tenho certeza de que vc vai levar o seu Wilson contigo. E junto dele virão várias outras coisas boas.

NANDO DAMÁZIO disse...

Putz .. Um cara que se mete a escrever novelas e uma atriz em início de carreira, hehe !!

Tá, eu sei que você não acredita em destino, mas .. quem sabe, né ??

O fututó é assim mesmo, incerto, a gente vai deixando as pegadas na areia e, quando olha pra trás, vê o tantão que já andou sem saber aonde vai chegar ..

Você é sim uma grande atriz, mocinha, acredito nisso !! ^^

Beijos !! =)