quinta-feira, 22 de maio de 2008

catarse epifânica

prestei atenção nas pessoas ouvindo chitãozinho e xororó e chorando...lembrando de um amor que partiu,sei lá...quiçá,que deixou um fio de cabelo no paletó.
prestei atenção nas pessoas assistindo ao jogo do são paulo x fluminense e chorando quando o fluminense fez o gol aos 46 do segundo tempo...
artaud,teatrólogo,dizia que um assassinato no palco é mais poderoso que um real,pois as pessoas vêem o assassinato no palco e expurgam sua vontade de fazê-lo na vida real (explicado de um modo defasado e simples,mas é ísso aí).
vocês devem estar pensando o que o teatro dito "cult"tem a ver com o futebol,com chitãozinho e xororó?
claro que a semelhança existe numa certa instância e isto não envolve preconceito nem nada,mas é que de fato não há comparação nem analogia direta,mas as coisas têm a ver na medida em que precisamos de uma válvula de escape pra exorcizar as nossas emoções...seja num estádio,com vários machos suando frio ao ver o time do coração, seja com as pessoas vendo uma peça de nelson rodrigues (pensei em nelson por causa das peças que chocaram a burguesia de outrora e que tem muito a ver com a crueldade do artaud).
vi o jogo do são paulo,vi um filme e cofesso que eu chorei...mas eu chorei pensando em outras coisas também...catártico.
é incrível como a cultura faz pensar na vida.efetivamente.não tem nada de místico ou utópico nisso.é uma coisa física e tangível.eu se eu digo cultura é no sentindo que eu entendo cultura,porque quer queira quer não chitãozinho e xororó também é cultura na medida em que essa,pra mim,tem a ver com hábitos e,portanto,não há apenas a dita cultura erudita.
ai,ai..me pego com um sorriso no rosto quando assisto a um filme do fellini...e eu me deixo sorrir.

ps:friso aqui o parágrafo em que-SIM!-eu admito que chitãozinho e xororó e o teatro de artaud são coisas diferentes e não têm analogia direta.também gostaria de enfatizar que não é só porque cultura e hábitos têm a ver pra mim que eu vou incentivar a escuta diária de tati quebra-barraco,por exemplo.e,por último,queria me desculpar se eu fui cuzona com esse post scriptum,mas é que às vezes a gente quer se justificar,né?sei lá..medo de entenderem errado,creio eu.e por hoje é só,pessoal.

4 comentários:

Prince of Angels disse...

Sempre vou me lembrar dos "assassinatos" planejados em "Tribobó city". Porem isso só aflorou minha vontade de pratica real!!!
aUAHUauaHua

Jokin!!
te amo

Sandrinha disse...

Tá, as vezes eu choro quando escuto "Stop Crying Your Heart Out" (música que faz contradizer tudo..rs).

Mas concordo. Ser parte da ficção, onde se pode fazer sem que seja punido, mexe mais com as pessoas. Há a sensação de que vai acontecer, mas de que estará tudo bem. Será que é por isto que as pessoas preferem muito mais o Coringa do que o Batman? :-P

Vai saber...

Beijos e boa semana!

NANDO DAMÁZIO disse...

É exatamente por isso que as pessoas preferem as vilãs do que as mocinhas nas novelas ..

Mas nem me venha com Ch&X !!

NANA disse...

Olá! =)
Vim lembrar que amanhã é o dia da Blogagem Coletiva sobre o Tabagismo!
Contamos com sua presença!
Beijo

NANA