quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

devaneeeeiossss

como diria a música,-não me lembro do nome,só me recordo da cássia eller cantando-"palavras,palavras,palaaaaaaaaaaaaaaavras"....
hoje eu acordei,nem lembro do sonho que eu tive (é,você notou que ando meio esquecida ultimamente)mas sei que acordei pensando na palavra "ábaco",o instrumento de cálculo que teve origem provavelmente na mesopotâmia...como é misterioso!e a própria palavra "ábaco"já mez faz pensar num suspense matemático (algo como o filme "Pi")e me remete ao oriente...ábaco...olha só,parece a palavra-prima do sânscrito!
outra palavrinha super bacana é "complete"..adoro...olha só,como sai da boca!o "l"do complete é demais!
uma palavra que me dá fome (sim,é verdade)é "condimentos"..repita:condimeeeeeeeeeentos ...condimeeeeentos...parece que estão mastigando!tudo friamente calculado(?)...
o que está esquecido atualmente é a origem das palavras (digo isso levando em conta todas as línguas-apesar de não ser poliglota,veja bem..haha);parece óbvio a priori,mas se pensarmos bem ninguém pára para pensar na origem das palavras nem aproveita bem o som que elas têm.o som mostra,na maioria das vezes,alguma característica da própria palavra (como em condimeeeeeeeeeentos,por exemplo).posso estar passando a imagem de querer catequizar quem lê meu blog com coisas de aulas de expressão vocal,mas não é meu interesse (e eu sei que não vou conseguir catequizá-los,ó,índios),porém eu realmente acho que a gente não aproveita as palavras..pior ainda,as palavras não são nem escritas corretamente..nosso português, "a última flor do lácio"está sendo assassinado aos montes.
é muito diferente prestar atenção só no som das palavras..em outras línguas também..se você não consegue entender alemão,pela entonação e pelos gestos você consegue pelo menos traduzir a emoção que a pessoa está sentindo..como diria o clichê cênico,"o corpo fala" (hahaha).no início você se acha meio imbecil escutando os sons vindos das palavras,mas é bem legal degustar..a palavra "pedra",por exemplo:eu fiquei repetindo e vi que ela tem uma dureza,uma austeridade,uma objetividade...parece papo de maluco,mas eu fiquei estupefata (olha esta palavra..acho super legal,super latim,super feitiçodoharrypotter!)
as palavras me fascinam...fascinam...fassssssssscinam...fasssssces..fascismo..eu poderia ficar horas aqui,mas vou poupá-los e me poupar;quero um post curto,desta vez.

ps:já era...tá grande o post de novo!CARALHO!-gente,esta é minha palavra preferida...não me zoem,palavrões são demais!descrevem grandes quantidades,grandes emoções...como disse millôr fernandes em uma das suas crônicas,se você diz "longe pra caralho"realmente é muito longe..mais longe,impossível!hahaha)

8 comentários:

Lord of Erewhon disse...

Caralho, é metralhadora do quotidiano! JAJAJAJAJAJA!!! - não soubesse, diria que você é do Porto!

Dark kiss.
P. S. Não desespera com emprego não, aqui deste lado do oceano tem mais Brasil, de nome Portugal! ;)

Lord of Erewhon disse...

P. S. Espreita aqui uma Casa de Amigos. Bom de ler, laços sobre o Atlântico.

Rodrigo Sérvulo disse...

Ah então. Eu realmente fiquei super puto. Tinha falado um monte aqui sobre anarquia, a liberdade assistida e a real liberdade...

Acho que vou fazer outro sermão aqui.

Primeiro um commentzinho sobre esse post pq não pode ficar sem. =P

Eu gosto de analisar as palavras de vez em quando. Elas são tão divertidas e lógicas (algumas). Mas por exemplo, será que pedra teria o mesmo som austero e firme se nós não soubéssemos o significado de "pedra"? Não sei. Mas enfim, eu concordo que ela seja firme e forte. O fonema "dr" cria uma quebra no pronunciar da palavra. Aliás, qualquer consoante seguida de r faz isso.

Ok, mudando de assunto para não me estender muito (ahã. Até parece que não vou)...

Sobre o tópico anterior. Eu vou dar uma resumida por pura preguiça.

O que eu disse foi o seguinte...

A liberdade que conhecemos hoje é uma liberdade assistida. Ótimo, podemos fazer o que quisermos DESDE QUE não matemos, não trafiquemos, não estupremos, não façamos nada ilegal.

O próprio conceito de lei já restringe a nossa liberdade. Se fôssemos livres de verdade, eu poderia fazer o que quisesse. Se eu quisesse roubar o gato da vizinha, eu roubava. Ao mesmo tempo, a vizinha faria o que ela bem entedesse. Se ela quisesse reclamar o gato, me estapear, me ameaçar de morte, ou simplesmente ignorar o sumiço do gato... Ótimo.

Minha mãe que mora comigo tbm poderia me dar um sermão, devolver o gato, me bater, ou me jogar pela janela. Entende?

É claro que uma sociedade assim é completamente utópica. E eu também não digo que ela seria melhor do que a falsa liberdade que temos hoje. Não sei realmente qual eu considero melhor... Mas enfim... Nessa liberdade "real" coisas ruins tbm seriam "legais" de fazer. Até pq o conceito de lei sumiria por água abaixo.

Por exemplo, o João quer estuprar a Maria. Ele vai e estupra. A Maria pode reagir como ela quiser, e o João pode reagir a reação dela como ele preferir. Se alguém passar pelo lugar e quiser interferir, ótimo, se quiser fingir que não viu, ótimo, se quiser parar para assistir, ótimo.

Se o pai da Maria depois do ocorrido quisesse tirar satisfações com o João, ele tirava. E fazia o que bem entendesse com ele... Estuprava de volta, torturava, matava, prendia, dava lição de moral, podia até contratar um assassino de aluguel.

Sim, pq policiais já não mais existiriam em um mundo que o Estado (inexistente) não tem que se intrometer na vida de ninguém. Cada um cuida da própria vida, e se sentir melhor, cuida da do outro tbm...

Bom, é meio complicado falar sobre isso e não sei se expliquei bem.

Beijos! (Esperando inspirações para um novo post!)

yara b . disse...

caralho, também adoro pra caralho falar caralho!

huehueheuheuheuheueh

Sandrinha disse...

Agora, pelamordedeus, me tira uma dúvida que me corrói há dias: como é que a palavra que define a origem das palavras?

Porque eu realmente não lembro! rs

Bom post, este, viu?

Beijo.

KnUx disse...

caralho! DO CARALHO!

Rodrigo Sérvulo disse...

=D

Brigado pela força

E ó... lembrei de ti com um trecho de Dois e Dois São Quatro do Ferreira Gullar, que caiu numa prova.

"Como dois e dois são quatro
Sei que a vida vale a pena
Embora o pão seja caro
E a liberdade pequena"

=D

subby disse...

hahahahahah

adorei o post..
e suas idéias em relação as essas palavras aí me convenceram.. :]

me lembrou uma amiga q adorava a palavra cólica.. e ela falava q dizer cólica dava a impressão de q saia uma borboleta voando da boca.
confesso q essa idéia dela eu achava coisa de doido.. mas se falar suavemente... cóliiica.. ateh q pode-se pensar a respeito. huahauaha (fiquei doida tbm?)