segunda-feira, 15 de setembro de 2008

indivíduo/coletivo amoroso

é incrível como a gente fica diferente quando tá apaixonado.eu,que tenho observado vários casais-amigos meus ou não-vejo claramente (porque é óbvio!)que a pessoa é,basicamente,outra em relação ao que era antes de estar apaixonada;agora a pessoa está em relação a outra pessoa.
é muito triste de se pensar isso,porque as personalidades meio que se diluem:você raramente vai defender o che guevara pro seu amor;mesmo seu amor,se discorrer sobre o "terrorista de merda argentino"vai ser bem menos contundente do que seria normalmente e,se for contundente,tudo acaba em beijinho.quase não se tem credibilidade,ou tudo é só tangenciado e não atingido de fato;atropelam-se coisas.o coletivo (no caso,o duplo)dissolve o indivíduo (e é muito difícil,mesmo num âmbito geral,manter essa dicotomia em equilíbrio dinâmico,porque é claro que a "massa"de indivíduos é uma massa de indivíduos,que darão vazão,em algum momento,à sua individualidade...ok,tô entrando em instância ideológica,vou parar hehe).
fora a palhaçada de "amor libertário"...sim,segundo espinosa o amor só é válido se liberta (mas o conceito de liberdade de espinosa é bem menos ilusório do que o que se tem hoje em dia)e tals...mas o que isso realmente quer dizer?
o ciúme é intrínseco ao homem(como diria um super amigo meu,"homo sapiens ciumentus")...caralho (ou buceta,pras feministas)!quando você tá com uma pessoa que você gosta,por mais "relacionamento aberto"que seja,rola um ciúme.uns ciúmes.propriedade privada no amor total.
como se pensar no amor que liberta hoje?como isso se dá praticamente?
porque na teoria/ditado o amor é lindo...

4 comentários:

rayuela disse...

Talvez tenha te lembrado Galeano justamente pq é inspirado num texto dele... rs... "O Circo Firuliche"... eu tb adoro esse rapaz. rs.
Olha como vc tá afiada!!!

(depois eu faço um comentário do post mesmo)

rayuela disse...

(Tem certeza que vc não devia estar na facul de Psico?)

O amor tem ciúmes, o amor prende, o amor liberta, machuca, faz voar, embebeda, emburrece, muda a gente...

...e é exatamente por tudo isso que ele é lindo!

Mariana disse...

amor liberta o caralho! (ou buceta, como vc já disse...).

Afinal, o mundo espera que, em algum momento você se acorrente com um anel no dedo, nénão?

Mas não sei se isso o torna menos lindo!

Sandrinha disse...

O amor escrito é realmente lindo.

Vivê-lo, por vezes, chega a ser um strees.