segunda-feira, 22 de setembro de 2008

realismo fantástico

quando eu era criança,ajudar a minha mãe nas tarefas domésticas era um mistério,uma aventura empolgante.lembro-me de que,quando pequena,eu pensava em como minha mãe era forte torcendo um pano (no momento ela representava todas as mães fortes-ou "mães coragens"-que havia mundo afora):um dia eu conseguiria fazer aquilo.que força extraordinária era aquela para torcer o pano?
fazer comida,lavar a louça e a roupa,varrer o chão...o cotidiano em outras cores e formas (uma vez que sob o olhar de uma criança).
e,apesar de corriqueiro,para mim era como se fosse uma maravilha à parte.essa "maravilha à parte"fez com que essa vidinha pequeno-burguesa infantil se arrastasse até o momento em que eu saí de casa e cortei o cordão umbilical externo.
agora é fazer comida,lavar a louça e a roupa,varrer o chão...e agora eu tenho forças pra torcer um pano ou a minha camiseta dos sex pistols,no caso deste dia.e nem assim o cotidiano é menos maravilhoso.é tangível,é visceral (pagar as contas é o melhor exemplo disto),é uma "outra temporada".mas fantástica.e sacal.

4 comentários:

Sandrinha disse...

Eu preciso cortar o meu cordão umbilical. E realmente experimentar a vida real, sair da redoma pela qual sempre estive cercada!

Respirar novos ares!

Beijos!

Cáritas disse...

Uma hora a gente cresce, filha....
Adorei..
Beijão

Prince of Angels disse...

vc acredita que eu também pensava a mesma coisa?? "Como ela é forte em torcer um pano"

LAURAAA... me vi no teu texto... kraio. a gnt eh mto igual amor!

Prince of Angels disse...

fla pra sua mãe me aceitar no blog delaaa!